Boletim Semanal de Energia de 23 a 29 de Janeiro de 2021

PAINEL SOLAR WITZLER ENERGIA

Destaques da Semana

Consumo de energia aumenta 1,1% no começo de janeiro frente a 2020.

De acordo com análise recente da CCEE, as quais constam no InfoMercado Quinzenal, o consumo de energia elétrica registrou alta de 1,1% na primeira quinzena do mês de janeiro de 2021, em comparação com o mesmo período do ano anterior. A geração de energia, considerando importações, teve uma elevação de 1,6% sobre a mesma base de comparação.

A alta de consumo apresentada no mercado livre foi de 10,6%. Já no Ambiente de Contratação Regulado (ACR), tivemos queda de 2,8% na comparação anual, com impacto direto dos efeitos da pandemia.

Ao expurgar o efeito das migrações para o ACL, a queda no consumo regulado é de 0,8%, e o crescimento do mercado livre é de 5,8%.

Fonte: CCEE.

Belo Monte: GSF fica pior com decisão do Ibama, afirma CCEE.

O impasse envolvendo o IBAMA e a Norte Energia acerca das vazões da UHE Belo Monte preocupa todo o setor, e deverá impactar o Mecanismo de Realocação de Energia (MRE). Mesmo ainda sem números oficiais, a Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE) estima que o índice do GSF deverá piorar. A razão para tanto é que é justamente no período chuvoso que se espera a produção da usina seja maximizada, para atendimento aos consumidores de energia.

Rui Altieri Silva, presidente do conselho de Administração da CCEE, afirma estar muito preocupado com o desenrolar do tema, já que há um impacto significativo para todo o mercado. A compensação de uma geração a menor em Belo Monte é realizada às custas dos consumidores, que terão que pagar por recursos mais dispendiosos, como os das usinas termelétrica, em uma conta que, a depender da duração do evento, pode chegar a bilhões de reais.

Mesmo sem causar impactos diretos no PLD, já que tal medida não estava prevista para tal finalidade, e, por motivos de governança, a CCEE só pode implantar alterações em premissas operativas caso sejam avisadas com 30 dias de antecedência, a conta chega ao consumidor através dos Encargos de Serviços do Sistema, pelos motivos acima descritos.

Fonte: CanalEnergia.

Balanço Energético do Sistema Interligado Nacional (SIN)

Ao observar a figura 1, nota-se que o Sul passou a importar um valor médio de energia menor do subsistema SE/CO do que o registrado na semana anterior. Verifica-se, com base nos dados apresentados na Figura 2, que a média de geração térmica total do SIN corresponde a 18% da carga média do SIN, aproximadamente. Observa-se, também, que o Nordeste e Norte continuam a fornecer excedente energético para suprir as demandas do Sul e SE/CO.

Balanço energético; Energia; boletim

 

Figura 1 – Balanço Energético e intercâmbio de energia (Fonte: ONS)

Balanço energético; médio

 

Figura 2 – Balanço Energético (Fonte: ONS)

Situação Hidrológica do Sistema Interligado Nacional

Níveis de Armazenamento

Na Figura 3, observa-se que Nordeste e Sul, após eventos de chuvas significativas na região, apresentam nível de armazenamento superior a 50%. Contudo, no SE/CO, percebemos uma queda de 1,6% em relação ao ano anterior, conforme a Tabela 1.

Níveis de Armazenamento, regiões sul nordeste, norte e Sudeste Cento

 

Figura 3 – Níveis de Armazenamento nos Reservatórios do SIN – valores de 31/01 (Fonte: ONS)

reservatório SIN

 

Tabela 1 – Acompanhamento dos Reservatórios do SIN (Fonte: ONS)

Energia Natural Afluente (ENA)

Na Figura 4, pode-se observar que Norte, Nordeste e Sul apresentaram elevação em suas ENAs em comparação aos valores registrados no início deste mês.

O SE/CO, por sua vez, apresenta um cenário recessivo de ENAs, em função do cenário com poucas precipitações nos últimos dias.

ENA; energia natural afluente

 

Figura 4 – Trajetórias dos níveis de Energia Natural Afluente por subsistema do SIN. (Fonte: ONS)

Com base nos dados da Tabela 2, é possível notar, novamente, que tivemos forte queda nos valores horários dos PLDs em todos os submercados, ao compararmos com o patamar de preços que tivemos na semana anterior. Mais uma vez, houve melhoria no cenário de vazões, com destaque para o crescimento material das ENAs na região Sul, conforme pode ser visto no gráfico da Figura 4. Os montantes se encontram muito acima da média nas bacias do Iguaçu, Uruguai e Jacuí.

pld médio; pld; preço energia

 

Tabela 2 – Preços horários médios, mínimos e máximos registrados por dia em cada submercado (Fonte: CCEE)

Os PLDs médios verificados no mês de janeiro/2021, considerando todo o mês, são dados na Tabela 3.

PLD, preço da energia

 

Tabela 3 – PLDs médios de janeiro, considerando os preços horários verificados em todo o mês (Fonte: CCEE)

Carga de Energia

Ao se analisar a carga média de cada subsistema, ilustrada na Figura 5, é possível notar que Sudeste e Sul apresentam valores em ascensão. Já o Norte e Nordeste apresentam os maiores níveis médios de carga do registro considerado nesta análise.

Carga de energia, brasil

 

Figura 5 – Acompanhamento da carga nos submercados do SIN. (Fonte: ONS)

Desta forma, o SIN apresenta aumento de 3,4% em relação ao dia 31/12/2020. Este dado é apresentado na Tabela 4.

Carga de energia, brasil

 

Tabela 4 – Carga média por subsistemas e SIN (Fonte: ONS)

Mercado e Preços

Com a forte queda no PLD na semana referida e uma expectativa de que os valores da semana seguinte sigam em queda, o mercado operou em tendência predominante de baixa, especialmente para os produtos de janeiro a março/2021. As médias de preços praticados no mercado para energia convencional e energia incentivada 50% são apresentadas na Figura 6 e Figura 7, respectivamente.

energia convencional, preço

 

Figura 6 – Curva de Preços de para Energia Convencional. (Fonte: Exponencial Energia)

energia incentivada, mercado livre de energia

 

Figura 7 – Curva de Preços para Energia de Fonte Incentivada com 50% de desconto na TUSD/TUST. (Fonte: Exponencial Energia)

Além disso, destaca-se que este tem sido o primeiro mês de PLD horário. Esta nova regra contribui para o amadurecimento do mercado de energia, uma vez que o preço desta passa a refletir melhor o que ocorre na operação do SIN. A Figura 8 mostra o PLD médio para cada dia de operação do mês referido até a data de 29/01, bem como seus valores máximos, mínimos e Função de Custo Futuro (FCF) do DECOMP. Esta função fornece uma previsão aproximada do nível médio do PLD horário para os dias futuros.

Histórico PLD janeiro 2021

 

Figura 8 – PLD horário – janeiro/2021

Considerações

Em comparação com o que ocorreu no início de janeiro, estamos com valores médios de PLD horário mais baixos, sobretudo em virtude de chuvas que ocorreram recentemente no Sul. Isto ocorre apesar das ENAs bem abaixo da média no Sudeste. Ainda existe uma expectativa de um cenário semelhante ao dessa semana, ou melhor, em termos de ENAs para a semana que vem. Com isso, pode haver uma baixa nos preços de mercado. Vale lembrar que este depende de fatores que vão além da disponibilidade de ENA nos reservatórios do país, como, por exemplo, decisões de órgãos regulamentadores que podem afetar a operação do SIN.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Gostaria de entender mais a fundo?

Conte com nosso time de profissionais com anos de experiência no mercado de energia. Entre em contato conosco e vamos conversar mais sobre esse assunto

    ENDEREÇO

    Bauru

    Av. Duque de Caxias, 11-70 Vila Altinópolis, Ed. Atlantida Tower – 1° andar, CEP: 17012-151

    São Paulo

    Rua Helena 275 , cj 92, Vila Olímpia.

    CONTATO

    Telefone: +55 (14) 3104-8200
    Email: [email protected]