Ultrapassagem de demanda e excedente de energia reativa: a sua empresa provavelmente vem sofrendo penalidades na conta de energia elétrica sem que você tenha notado.

Penalidades na conta de energia elétrica

No Mercado Cativo, as empresas além de pagarem cada vez mais caro pela energia consumida, pagam por penalidades na conta de energia elétrica sem perceber. Para evitar que a sua empresa receba essas penalidades, veja neste artigo quais são, como identificar e evitar essas multas que deixam o que já é caro, ainda mais caro sufocando margens e ameaçando a sustentabilidade financeira das organizações.

Existem dois tipos de penalidades: a ultrapassagem de demanda e o excedente de energia reativa. A multa por ultrapassagem de demanda acontece quando a sua empresa demanda mais energia do que o contratado, já a multa por excedente de energia reativa se refere ao excesso da energia reativa que, quando não controlada, pode ser prejudicial ao sistema elétrico. 

Como funciona a multa por ultrapassagem de demanda contratada

A multa por Ultrapassagem de Demanda Contratada é a penalidade dada pelas concessionárias às empresas que utilizam mais energia do que o contratado, indicando a ultrapassagem do uso energia elétrica.

Portanto, caso haja uma medida de demanda utilizada maior do que o contratado, a concessionária cobrará uma multa pelo excesso, em que a tarifa aplicada será 2x a demanda ultrapassada.

Como funciona a multa por excedente de energia reativa

A multa por Excedente de Energia Reativa é a penalidade dada pelas concessionárias às empresas que possuem um fator de potência abaixo do mínimo especificado, que indica o desperdício de energia elétrica.

Portanto, caso o fator de potência esteja abaixo do mínimo, a concessionária aplicará uma multa sobre o valor da conta de energia.

Para te ajudar na visualização dessas multas, trouxemos abaixo a imagem de uma conta de energia e, sim, ela é real! Confira:

Excedente de Energia Reativa

Como evitar as penalidades na conta de energia elétrica

Para sair do risco de ser penalizado, a sua empresa precisa deixar de contratar energia de concessionárias no Mercado Cativo e se tornar livre para negociar seus próprios contratos de energia no Mercado Livre de Energia, garantindo economia de, em média, 30 a 40% por mês, previsibilidade dos custos por anos, melhores pontuações de sustentabilidade e reconhecimento da marca frente a competitividade do mercado.

Segundo dados da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica – CCEE, atualmente, o segmento no Brasil representa 34,5% de toda a energia elétrica consumida, crescimento exponencial que encerrou 2021 com 5.563 novas Unidades Consumidoras migradas para o Ambiente de Contratação Livre – ACL*.

Nos Estados Unidos, por exemplo, 65% dos consumidores são livres, enquanto em alguns países da Europa o Mercado Cativo nem existe mais. Ou seja, todos os consumidores empresariais e residenciais do exterior negociam energia elétrica livremente e, no Brasil, segundo o Projeto de Lei 414/2021, as regras para permitir que todos os consumidores, inclusive residenciais, possam exercer o direito de escolher o próprio fornecedor de eletricidade já está em pauta com potencial de gerar, até 2035, R$ 210 bilhões de redução nos gastos com energia elétrica, 642 mil empregos e, um desconto médio de 27% na compra de energia**.

Portanto, você pode melhorar os resultados da sua empresa agora migrando para o Mercado Livre de Energia com a Witzler, a empresa que mais migrou Unidades Consumidoras para o ACL***.

Entre em contato conosco e converse com nossos especialistas para tirar todas as suas dúvidas sobre a migração para o Mercado Livre de Energia e migrar agora. O presente é livre!

(*) Fonte: CCEE, janeiro de 2022.

(**) Fonte: Abraceel, março de 2022.

(***) Fonte: CCEE, primeiro trimestre de 2022. Empresa que mais migrou unidades para o ACL.



Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.