Boletim Semanal de Energia de 05 a 11 de Setembro

Boletim Semanal de Energia Elétrica

Destaques da Semana

Brasil retoma consumo de energia pré-pandemia antes de outros países, diz CCEE.

O consumo de energia já se mostra em níveis próximos aos que se verificava antes da pandemia. Comparativamente a outros países, no Brasil, temos uma recuperação mais rápida, conforme estudo recente da CCEE (Câmara de Comercialização de Energia Elétrica). De acordo com o mês de agosto de 2020, tivemos um recuo de apenas 0,3%, em comparação com o mesmo mês do ano anterior. Tal comportamento é atribuído ao gradual relaxamento das medidas de isolamento social para conter a disseminação da Covid-19.

Importante ressaltar que os dados de consumo não descontam outros fatores, como a temperatura, mas, ainda assim, Rui Altieri, presidente do conselho da CCEE, entende que o comportamento recente dá demonstrações claras de uma retomada. Além disso, Altieri acredita que, a partir de setembro e outubro, todos os setores da economia devem apresentar consumo de energia no mesmo patamar ou acima do ano passado.

Fonte: Reuters.

Acordo do GSF deve ter grande adesão por parte dos agentes, diz CCEE.

De acordo com Rui Altieri, a proposta para acordo do GSF deve ter adesão da maioria dos 115 agentes com débitos no mercado de curto prazo. Com isso, o acordo deverá resultar no parcelamento de um montante líquido de R$ 5,3 bilhões. Importante lembrar que a disputa judicial em relação aos débitos do GSF já dura mais de cinco anos, e impede a liquidação de um total de R$ 8,9 bilhões na CCEE.

Com a publicação da Lei 14.052/2020, sancionada pelo Presidente da República no último dia 9 de setembro, abre-se caminho legal para que o acordo seja efetivado. Aceitando o custo passado, e desistindo das liminares, os agentes de geração que aderirem ao acordo terão direito a um prazo adicional de concessão, cuja duração máxima será de 7 anos, além da possibilidade de parcelamento dos débitos.

Altieri espera que até dezembro o mercado poderá ter o primeiro pagamento, ou ao menos seu agendamento, concluído. Do total de 141 liminares, 45 delas protegem agentes de participar do rateio da inadimplência, e estão fora da solução aventada pela Lei. Dessa forma, a CCEE deverá se reunir com associações de classe para negociar a desistência, também, destas liminares, buscando acabar com a judicialização do setor elétrico.

Fonte: CanalEnergia.

economia de energia; fatura de energia

Balanço Energético do Sistema Interligado Nacional (SIN)

Além do Nordeste e do Norte, com a melhora das ENAs, em função de eventos de chuva ocorridos ao longo da semana, o Sul também exportou energia ao Sudeste, como podemos verificar na Figura 1.

Apenas o Sudeste foi o único subsistema a importar energia para complementação do seu atendimento energético.

Balanço energético; Energia; boletim
Figura 1 – Balanço Energético e intercâmbio de energia (Fonte: ONS)
Balanço energético; médio
Figura 2 – Balanço Energético (Fonte: ONS)

Situação Hidrológica do Sistema Interligado Nacional

Níveis de Armazenamento

Em primeiro lugar, nesta semana operativa, como na anterior, houve queda nos níveis de armazenamento. Mas, mesmo com elevação pontual nas ENAs no Sul, não houve alteração de trajetória neste subsistema.

Níveis de Armazenamento, regiões sul nordeste, norte e Sudeste Cento
Figura 3 – Níveis de Armazenamento nos Reservatórios do SIN (Fonte: ONS)
reservatório SIN
Tabela 1 – Acompanhamento dos Reservatórios do SIN (Fonte: ONS)
Energia Natural Afluente (ENA)

Todos os subsistemas seguem em tendência de queda nas ENAs. No Sul, os eventos de chuva ao longo da semana não causaram uma elevação material conforme vimos nos últimos meses, mas trouxe uma pequena elevação nas ENAs da região.

ENA; energia natural afluente
Figura 4 – Trajetórias dos níveis de Energia Natural Afluente por subsistema do SIN. (Fonte: ONS)
Energia Natural Afluente mensais
Tabela 2 – Previsões de Energia Natural Afluente mensais para a revisão 2 do PMO de setembro (Fonte: ONS)

A revisão das previsões de ENA da revisão 2 do PMO de setembro mostram uma queda na expectativa nas ENAs do Sudeste e Sul, resultando em uma diminuição de 2,6 GW médios na ENA prevista para o SIN no mês.

Dessa forma, tivemos uma elevação dos PLDs médios de todos os submercados para a semana operativa de 12 a 18 de setembro. O aumento foi de 17% para Sudeste, Sul e Norte, e 15% para Nordeste, em relação à semana operativa corrente.

Como o Nordeste segue como exportador de energia, contando com valores elevados de geração eólica, capazes de atender a quase toda sua carga, ao enviar energia para as demais regiões temos um esgotamento da capacidade de intercâmbio. Com isso, o submercado se isola, ficando com um custo marginal de operação e, consequentemente, um PLD mais baixo que os demais.

Os PLDs para a próxima semana operativa são dados a seguir.

PLD, preço da energia
Figura 5 – PLDs para a terceira semana operativa de Setembro /2020 (Fonte: CCEE)
Carga de Energia

Além da retomada do consumo em função da flexibilização do isolamento social, as elevadas temperaturas dos últimos dias impactaram positivamente a carga ao longo de setembro

Assim, já notamos elevação da carga no mês em função do mesmo período do ano passado e do mês anterior.

Carga de energia, brasil
Figura 6 – Acompanhamento da carga nos submercados do SIN. (Fonte: ONS)

Mercado e Preços

Com as previsões meteorológicas indicando cenários mais secos em boa parte da semana, além da situação mais seca em boa parte do SIN, a exceção do Sul, no qual tivemos alguns episódios de chuvas e leve elevação das ENAs, notamos uma tendência de alta ao longo da semana de 8 a 11 de setembro, lembrando que tivemos feriado da Independência na segunda, sem operações no mercado.

Contudo, no final da semana, notamos algumas alterações nas previsões de chuvas, porém, ainda com certa variabilidade, gerando volatilidade nos preços, sobretudo nos produtos para entrega em 2020.

energia convencional, preço
Figura 7 – Curva de Preços de para Energia Convencional. (Fonte: Exponencial Energia)

Para os produtos de 2021 em diante, apenas notamos variações naqueles com entrega para o próximo ano.

energia incentivada, mercado livre de energia
Figura 8 – Curva de Preços para Energia de Fonte Incentivada com 50% de desconto na TUSD/TUST. (Fonte: Exponencial Energia)

Considerações

Após elevação das ENAs no Sul, em função de chuvas ocorridas no início da semana operativa, já notamos queda nas vazões, condizente com o início de uma situação mais seca na região.

As previsões de chuvas indicam um cenário mais positivo após o dia 19/9, e já mexem com o mercado. Contudo, não se nota um movimento tão forte de queda, já que o mercado deve esperar uma confirmação do cenário nos próximos dias.

A revisão 2 do PMO de setembro mostra cenários mais baixos de ENAs para Sudeste e Sul. Com isso, tivemos elevação nos PLDs médios de todos os submercados.

Escute agora o Witzler Cast



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Gostaria de entender mais a fundo?

Conte com nosso time de profissionais com anos de experiência no mercado de energia. Entre em contato conosco e vamos conversar mais sobre esse assunto

*Campos Obrigatórios